domingo, 29 de julho de 2012

ATENÇÃO NAS URNAS MEU AMIGO PROFESSOR E FAMÍLIA

            É, meus colegas e minhas colegas de profissão, nossa situação é séria. Muitos candidatos não acham e não acreditam, mas, somos sim, formadores de opinião. Somos eleitores, e potenciais agentes de influência social. 
           As eleições municipais estão batendo nossas portas, e, será que os candidatos podem olhar tranquilamente, olho no olho, dos professores? Será que o gestor atual pode olhar tranquilo nos olhos daqueles que ele mesmo chamou de colegas de profissão? A realidade atual é cruel para conosco e todo mundo sabe disso! Ninguém pode esconder esse fato. Entretanto, o que os atuais candidatos a prefeito deste município querem mascarar, ou simplesmente não tem coragem para afirmar é que, caso ganhem, NÃO irão cumprir à risca a lei do Piso Nacional Salarial dos Professores, a lei orgânica do município e também o nosso Plano de Cargos, Carreiras e Salários. Nos programas de governo dos três candidatos: Marcus Welby, Carlos Lucena e Cortez Júnior NÃO ESTÁ CLARO QUE OS MESMOS IRÃO SER CORRETOS COM A CATEGORIA E CUMPRIR O QUE TODOS NÓS ESPERAMOS!!! SÃO AS MESMAS PROMESSAS DE CAMPANHA: EVASIVAS, GENÉRICAS, CONVENCIONAIS E, AO MEU VER, PURAMENTE ELEITOREIRAS. PERCEBAM QUE NÃO EXISTE A PREOCUPAÇÃO COM A NOSSA PRINCIPAL CAUSA HOJE: O CUMPRIMENTO DO PISO. 
               Ao que nós sabemos, somente o município de Campo Redondo, no Trairi, não está cumprindo a Lei do Piso.
               Caso QUALQUER UM DOS TRÊS SE ELEJA, não temos nenhuma garantia de que a Lei seja cumprida e se faça justiça a nós professores.
            Nenhum deles está preocupado com a nossa questão, mas, é claro, estão interessadíssimos nos resultados das urnas em Campo Redondo. Quem me disso isso? Os seus programas de governo, e no caso de Carlinhos da Apami, SEM COMENTÁRIOS.
                Mas, não só eles que estão desinteressados na condição dos professores não. Por exemplo, na atual gestão, tem uns "CAMARADAS", conhecidos popularmente de babões, que dão risadas escabrosas nas esquinas de Campo Redondo, e nos comentários que postam ainda ironizam dizendo que o povo quer mesmo é o 22, certos da vitória.

O que os professores devem fazer? Com a palavra, os professores.